Aprendendo

Idéias para aproveitar o efeito surpresa na aprendizagem das crianças


Vivemos em um mundo em que poucas coisas nos surpreendem; quanto mais velhos ficamos, menos surpresas temos. São poucas as circunstâncias que nos surpreendem (é verdade que vivemos mais tempo), mas e as crianças de hoje? Elas se surpreendem em certas situações? Surpreendem-se facilmente? Nós te dizemos como tirar vantagem do fator surpresa ou efeito em casa ou na aula para melhorar a aprendizagem das crianças, de acordo com a idade.

O fator surpresa é essencial nas primeiras idades para iniciar meninos e meninas na pesquisa, querendo saber e aprender maisÉ um sentimento que, como adultos, devemos cuidar e manter na vida dos mais pequenos.

Quando sentimos uma surpresa, toda a nossa atenção está voltada para ela. Por ser algo inesperado, o nosso corpo não sabe como reagir, ora o faz de forma positiva e ora de forma negativa, dependendo se a surpresa é agradável ou desagradável.

É uma sensação relativamente curta, uma vez que imediatamente vá para outro sentimento: alegria, tristeza, raiva, etc. Esses são sentimentos derivados da admiração. Mas, como ocorre com essas outras emoções, tanto os pais quanto os professores devem levar isso em consideração em nossa educação e educação.

Além disso, como aponta o relatório 'Emoções' da AECC, a surpresa está relacionada ao choque, espanto e às vezes até perplexidade. É um tipo de emoção que nos convida a nos aproximarmos do novo que está acontecendo para aprender mais sobre ele e saber como reagir à nova circunstância.

A maioria das crianças de hoje são superestimuladas, eles dificilmente ficam surpresos ou maravilhados. O que isto significa? São menores que passam muitas horas colados a um dispositivo tecnológico com ou sem acesso à Internet (telemóvel, tablet, televisão ...). Esses aparelhos emitem um grande número de imagens e sons por minuto, impossíveis de fazer na vida real, de modo que para eles o retorno à realidade é enfadonho, impacientam-se facilmente e isso os desestimula.

Vejamos um exemplo: um menino ou menina de 6 anos deve plantar leguminosas em casa em uma vasilha de iogurte com água e algodão, para observar todas as fases que ela passa até que a planta saia. Esse processo pode durar vários dias, mas descobrimos que a criança quer que a planta nasça agora ou já pesquisou na Internet o que vai acontecer. Em vez de ficar surpreso, ele antecipou.

Cabe ao adulto manter vivo o sentimento de surpresa desde cedo, não facilitando imediatamente tudo o que deseja, mostrando-lhes a realidade da vida real mais do que através de uma tela, deixando-os se surpreenderem...

A surpresa tem muitos benefícios nas primeiras idades, como:

- Estimular o impulso de investigar, querer saber ou aprender novos conhecimentos, ser mais curioso.

- Aprenda a gerenciar as emoções derivadas da surpresa.

- Conheça melhor os meninos e meninas, se a surpresa foi positiva ou negativa.

A surpresa é um recurso fantástico quando se trata de receber a atenção das crianças. É um meio muito recorrente nas salas de aula e que também pode ser transferido para as residências. Dependendo da idade dos filhos, de seus gostos, de suas preocupações, podemos surpreendê-los por uma infinidade de coisas:

1. Meninos e meninas de 0 a 3 anos
Nesta idade quase tudo surpreende as crianças, pois seu instinto os leva a querer investigar e saber tudo o que têm ao seu redor: sons, imagens, objetos em movimento, sabores, etc. É uma faixa em que eles não verbalizam claramente suas emoções, mas é muito visual, pois são capazes de gesticular todas elas.

2. Com meninos e meninas de 3 a 6 anos
É a melhor idade para use o efeito surpresa como um meio de aprendizagem. Basta vestir-se um dia na aula ou em casa se quisermos transmitir algum conhecimento para que o menino ou a menina queira saber cada vez mais, por exemplo: vestir-se de espantalho.

Nesse caso, podemos propor ao menino ou menina que descubra o que estamos vestindo. Deste modo, partimos da aprendizagem que pretendemos realizar (ensino da horta, dos animais da quinta, etc). Nessas idades, todos os menores são capazes de verbalizar o que sentiram com surpresa.

3. A surpresa em seus filhos ou alunos de 6 a 9 anos
Nessa faixa etária, muitos meninos e meninas ainda mantêm essa inocência e não é tão difícil surpreendê-los. Podemos fazer isso tanto por idade antes quanto por idade depois. É uma idade chave na aprendizagem e devemos buscar recursos para atrair sua intenção e motivação para novos conhecimentos e a surpresa é um desses recursos essenciais.

Por exemplo, para ensinar os ossos do corpo humano podemos surpreendê-los com a chegada de um esqueleto à sala de aula ou podemos fazer nós próprios um modelo DIY. Ou se vamos falar de minerais ou rochas, seria uma boa opção ter várias amostras destes em aula. Com certeza vão ficar maravilhados e conseguimos chamar a atenção deles.

4. Idade a partir de 10 anos
Como eles já controlam a tecnologia perfeitamente nessas idades, a melhor maneira de uma criança se surpreender é experimentá-la 'in situ'. Ou seja, se nosso filho ou filha tem que fazer um trabalho na Idade Média, é melhor levá-los para um castelo próximo antes de dar-lhes o computador. Visitando o castelo irá aprender, observar e surpreender-se muito mais (pois talvez tenha sido uma experiência que nunca teve).

Você pode ler mais artigos semelhantes a Idéias para aproveitar o efeito surpresa na aprendizagem das crianças, na categoria Aprendizagem no local.


Vídeo: TOP brincadeiras para CRIANÇAS de 2 A 3 ANOS (Setembro 2021).