Diálogo e comunicação

O que conversar com as crianças na hora das refeições, de acordo com a idade


Se você é uma das famílias que tem a sorte de compartilhar o almoço e o jantar juntos, continue fazendo isso! Mas não só, aproveite esse momento para melhorar a comunicação com seus filhos e estreitar laços. Nós falamos sobre o que falar com as crianças na hora das refeições, dependendo da idade.

Que uma boa comunicação é necessária para a harmonia familiar não é segredo, mas nem sempre é tão fácil de conseguir. E, às vezes, os mesmos adultos não sabem se comunicar de forma assertiva uns com os outros, então fazê-lo com o menor da casa pode se tornar mais complexo do que parece à primeira vista.

Porém, é importante saber que as crianças que desenvolvem esse tipo de comunicação desde cedo com seus familiares são mais autoconfiantes, expressam muito melhor seus sentimentos e têm maior capacidade de interação em outros ambientes em que isso se desdobra. Por tanto, é claro que tentar melhorar a comunicação com nossos filhos é uma tarefa necessária, para que possamos sempre ir mais longe por isso.

Uma das maneiras mais fáceis de começar a construir uma comunicação familiar fluente é permitir um certo espaço e tempo para isso, mas sem envolver uma obrigação ou um momento muito forçado. Por ele, muitos especialistas em comunicação recomendam a hora do almoço ou jantar para aproveitar a melhoria da comunicação familiar, já que costuma ser um momento em que todos os membros da família têm a oportunidade de se reunir com a maravilhosa desculpa de saborear e saborear a comida.

Algumas famílias, cuja comunicação foi cultivada de forma positiva ao longo dos anos, encontram outros espaços, como uma hora à tarde para reunião familiar, mas isso sempre dependerá do tempo disponível para favorecer esses momentos para nossos filhos. Em todo caso, o importante é encontrar aquele momento em que todos os membros da família se reúnam ou, pelo menos, a mãe ou o pai com seus filhos.

Qualquer família se comunica, pois a comunicação é um aspecto essencial do ser humano. No entanto, habilidades de comunicação positiva e assertiva são adquiridas com a prática, portanto, não há melhor lugar para aprender do que dentro da família. Estes são alguns dicas para melhorar a comunicação familiar no almoço ou jantar (ou outro momento de união).

1. Não force os temas
É natural que qualquer pai deseje saber se seu filho ou filha tem bons amigos, se são assediados, se estão progredindo bem nos estudos, etc. No entanto, não podemos esperar que nossos filhos nos contem a vida inteira se não estivessem acostumados a fazer isso antes. Além disso, deve-se respeitar também o direito à privacidade ou a contar no momento em que se sentirem confiantes.

Portanto, o ideal é que você não tente falar sobre um determinado assunto sem que haja um motivo específico para isso. Por exemplo, se você quiser falar sobre bullying, talvez possa falar sobre um caso que você conhece, que ouviu na televisão, uma série que viu na Netflix sobre o assunto ... etc. Dessa forma, você ajuda seu filho a ter a oportunidade de ser quem decide falar sobre isso.

2. Crie um clima de confiança
Não julgue seus filhos pelos tópicos que discutem à mesa. Às vezes, serão tópicos sérios, outras vezes serão tópicos supérfluos que são importantes para eles, outras, desejarão criar uma atmosfera de brincadeira enquanto comem, etc. Adaptar-se um pouco ao clima familiar que está sendo criado na interação de uma refeição é essencial para que todos os membros da família se sintam totalmente confiantes para se comunicarem.

3. Fora com a tecnologia?
Os especialistas geralmente recomendam evitar o uso de televisão ou celular durante as refeições para que os membros da família não se distraiam e queiram interagir uns com os outros. Porém, também temos que nos adaptar um pouco às tecnologias, já que nossos filhos nasceram com elas. Por exemplo, não há nada de errado em um de seus filhos ser capaz de mostrar um vídeo de 2 minutos no YouTube sobre um assunto de seu interesse, a partir do qual eles podem criar uma conversa interessante e frutífera.

Se isso acontecer um dia, não significa que será assim todos os dias, simplesmente que seu filho talvez naquele dia em particular quis compartilhar algo de que gostou com você. Mesmo assim, esse assunto pode ser delicado para alguns pais, então a decisão será sempre deles.

4. A liberdade é essencial
Se quiser que um dia seus filhos falem sobre seus problemas, eles devem se sentir à vontade para fazê-lo e, para isso, é essencial que estabeleçam uma comunicação livre com você no dia a dia. Não limite os temas da conversa ao almoço ou ao jantar, não há nada que não possa ser discutido de forma calma.

5. Você pode falar sobre tudo, tanto bom quanto ruim
A comunicação assertiva e positiva não significa que todos os tópicos de conversa em família sejam sobre tópicos leves. Às vezes, acontecem coisas na família que precisam ser discutidas, por exemplo, a doença de um tio, ou pode haver uma questão social sobre a qual você deseja falar, como uma eleição ou uma tragédia climática.

Agora, é importante deixar os problemas do núcleo familiar para outro momento, sejam eles entre os pais ou se estão entre os pais com seus filhos. Por exemplo, se seu filho não está indo bem na escola, repreendê-lo constantemente à mesa não é a melhor estratégia, e a hora das refeições é um momento para se socializar e se comunicar de forma assertiva.

6. Faça perguntas intencionais
Ensine seu filho a dar sua opinião, oferecendo-lhe a possibilidade de fazê-lo com uma pergunta. ‘O que você acha?’ Você concorda? ’,‘ O que você acha sobre este assunto? ’… São perguntas abertas que o convidam a falar e compartilhar sua opinião.

7. Ouça
Ouça o que seus filhos têm a dizer sem julgá-los com severidade e sem reter suas idéias quando não correspondem às suas. Se você acha que há um tópico que eles estão focalizando erroneamente, simplesmente dê seu ponto de vista com um 'Eu acho ...' ou 'Parece-me que ...'. Para eles a sua opinião será sempre uma referência, deixe-os tirar as suas próprias conclusões e confiar no seu bom senso.

Alguns ainda podem ter sua 'língua irregular' e é preciso um pouco de esforço para entendê-los, mas eles também têm uma voz e querem se expressar muito. A comunicação com eles às vezes pode ser mais fácil (são mais espontâneos), mas também mais difícil (você deve estar ciente de que eles comem)

- Temas de berçário ou faculdade: Perguntar sobre os amigos é sempre um bom recurso.

- Um dos seus locais de lazer preferidos é o parque, então falar sobre isso pode te ajudar muito a conhecer mais o seu filho.

- A família. Seu mundo ainda é muito pequeno e suas referências são seus pais, irmãos e avós. Falar sobre esses números tão importantes para eles pode ser muito útil.

Quando a criança cresce, o tema varia. Propomos alguns tópicos de conversação que podem ser interessantes ou chamar a atenção dos seus filhos desde que tenham entre 5 e 10 anos. Anote!

- Situações engraçadas na escola.

- Tópicos sobre imaginação: qual seria o seu superpoder se você fosse um super-herói, que animal você seria ...

- A escola: o que você gostaria de mudar na escola, quem é seu professor favorito e por quê, de que matéria você mais gosta, jogos no recreio….

- Tópicos sobre amigos: diga-me algo engraçado sobre um amigo, que é o seu melhor amigo ...

- Fofoca: entre colegas da escola, de atividades extracurriculares, etc. (Pode ajudá-lo a detectar casos de assédio) Sempre apenas para saber, como curiosidade, para nunca julgar os outros.

- Gratidão: por que você está grato hoje, a quem você é grato ...

Com a virada da década, muitas crianças deixam para trás sua parte mais inocente. Embora ainda sejam crianças, eles querem ser mais velhos, então seus diálogos e interesses variam.

- Tópicos sobre eventos do mundo hoje.

- Assédio moral (sem forçar, sem perguntar se eles estão assediando você diretamente).

- Tópicos sobre sexualidade: doenças sexualmente transmissíveis, formas de se proteger, o que é sexo ... se a criança toca no assunto ou é curiosa, ou talvez esteja vendo na escola.

- Sonhos por realizar.

- Valores: O que você valoriza na família? Como é que se tem que ser um bom amigo? Como ajudar os idosos? Como melhorar o meio ambiente?

- Relacionamentos entre amigos,

- Digite jogos o que prefere? (exemplo: você prefere comer apenas chocolate ou comer apenas salada?)

- Tópicos sobre espiritualidade: Você acha que Deus está conosco? Há algo que você gostaria de saber sobre suas crenças ou nossas crenças?

Na pré-adolescência e na adolescência, as emoções estão em alta, razão pela qual muitos pais têm dificuldade em entrar na cabeça de seus filhos e saber o que há de errado com eles. Aqui está uma ajuda!

- Temas transcendentais: O que significa amor? O que fazemos como sociedade pelo meio ambiente? ...

- Tópicos sobre relacionamentos amorosos: a ideia de amor romântico, igualdade de gênero, relacionamentos tóxicos, ciúme ...

- Temas divertidos: piadas, trocadilhos, vídeos malucos, acontecimentos malucos ...

- Coisas curiosas que aconteceu conosco hoje.

- Sonhos e aspirações pessoais e profissionais.

- Questões delicadas na adolescência: toxicodependência, alcoolismo, DST, sexualidade, anorexia, autoestima ...

- Tópicos sobre eventos do mundo hoje: política, esportes, etc.

Você pode ler mais artigos semelhantes a O que conversar com as crianças na hora das refeições, de acordo com sua idade, na categoria Diálogo e comunicação in loco.


Vídeo: Hora do papa. Brotinhos. Música Infantil (Setembro 2021).