Valores

Guia para o casal se separar sem prejudicar os filhos

Guia para o casal se separar sem prejudicar os filhos


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

A separação de um casal é sempre complicada e ainda mais quando há filhos envolvidos. Os filhos são frequentemente os mais vulneráveis ​​na família e, portanto, os que mais sofrem com a decisão dos pais de se separarem. Embora a separação seja apenas entre o casal, é inevitável que os filhos fiquem imersos nessa decisão. Vai depender da atitude e apoio dos pais para preservar os filhos do sofrimento.

José Manual Aguilar Cuenca, psicólogo e autor doGuia para enfrentar a separação do casal sem prejudicar os filhos, aconselha os pais a enfrentarem a separação com maturidade suficiente, de forma pacífica e respeitosa, assumindo que a estabilidade dos filhos depende em grande parte deles.

1. Os pais devem ajudar os filhos a compreender que seus hábitos de vida vão mudar e que eles terão que construir suas novas rotinas. As crianças devem se acostumar a ter um ou outro, em diferentes casas e em diferentes ocasiões. A normalidade na vida dos pais causa normalidade na vida dos filhos.

2. Não se pode ignorar que muitas vezes as emoções se misturam na família quando há separação do casal. Os pais devem ajudar os filhos a compreender quais sentimentos como insegurança, medo ou desânimo podem surgir e como eles podem controlá-los. Os pais precisam canalizar seus próprios sentimentos para que mais tarde possam ajudar os filhos a fazer o mesmo.

3. Os pais devem deixar claro aos filhos que os pais se divorciam, os filhos não.

4. Os pais devem evitar se deixar levar por sentimentos negativos, comentários depreciativos para seu ex-parceiro. Isso pode causar muitos danos e desconforto às crianças, podendo alterar o seu comportamento, alimentação ou sono.

5. Os pais que após a separação são obrigados a assumir tarefas e responsabilidades que nunca tiveram antes, e mesmo limitações financeiras, devem estar cientes de que o que seus filhos mais precisam é de cuidado, apoio, presença, carinho, amor ... Você tem aceitar e assumir a nova realidade em vez de ficar ruminando sobre o que você não será mais capaz de mudar. As crianças sabem ler o rosto, os silêncios e os sentimentos dos pais.

6. Os pais devem conversar com seus filhos sobre sua separação sem dar muitas explicações e sem atribuir culpa. A capacidade de seus filhos de entender o que está acontecendo não pode ser subestimada. O importante é que os filhos saibam que os pais continuarão a estar ao seu lado e que os terão quando precisarem.

7. Os filhos não são a terapia dos pais, nem mesmo da equipe em que se apoiam. Quanto mais custa aos pais superar a separação, mais custará aos filhos lidar com isso.

8. Os pais devem estar cientes das mudanças no comportamento dos filhos. Observe se algo mudou em seus hábitos de comer, dormir e estudar. Não há razão para ficar alarmado. Se os pais permanecerem firmes em sua educação e cuidados, tudo voltará ao normal em nenhum momento. Você não pode abusar de seus filhos ou deixá-los fazer o que quiserem.

9. A separação dos pais não é a mesma para crianças menores ou maiores de três anos. É difícil para os pequenos entender o que acontece entre os pais. Por isso é muito importante reiterar a sua presença e não se sentir incapaz de servi-los. Dos 3 aos 7 anos, as crianças já entendem o que é separação e podem manifestar suas dores com barriga ou dores de cabeça, birras, etc. Dos sete anos de idade até a adolescência, as crianças costumam ficar indignadas, aborrecidas e zangadas com a separação dos pais. Os pais devem interromper esses comportamentos para que não se tornem mais severos, impondo seus critérios e não se desmentindo.

10. Os pais devem evitar confrontos entre si. Viver na oposição força o ódio e o ódio não faz nada pelas crianças. Devem evitar exercer demasiada pressão sobre os filhos, impedindo-os, por exemplo, de ter qualquer tipo de relação com o novo companheiro do ex-companheiro ou de falar mal do outro cônjuge.

Se você deseja saber outras orientações sobre guarda compartilhada, o papel da família e dos avós no divórcio de um casal, etc., recomendamos que você acesse o GUIA.

Você pode ler mais artigos semelhantes a Guia para o casal se separar sem prejudicar os filhos, na categoria Relacionamento in loco.


Vídeo: Barraco Donos do perfil Coisas pra Crente cantora Jayana e William brigam e expõem vida pessoal (Dezembro 2022).